segunda-feira, 22 de julho de 2013

RELATO DE GEORG CRAIG SMITH - PIONEIRO DE LONDRINA - 1929

1929 – Um empreendimento foi iniciado numa região chamada Patrimônio  Três Bocas, hoje Londrina. A partir da chegada da primeira caravana da Companhia de Terras do Norte  do Paraná, foi dinamizada a ocupação de terras quase inteiramente cobertas por  florestas, habitadas por indígenas e por alguns colonos. “Animais de carga” e homens, primeiramente. Logo em seguida, veículos  motorizados e famílias inteiras atravessaram o rio Tibagi e se instalaram aqui na  região. Nesta mostra, queremos apresentar um olhar sobre este contexto: o de um  jovem que participou da primeira caravana, liderou-a, sendo um efetivo participante da construção da nova comunidade – George Craig Smith. Através de sua câmera, sempre a tiracolo, Smith capturou cenas e personagens selecionados por um olhar que, a todo momento, registrava o confronto  entre uma vida urbana e social e a rusticidade de um espaço a ser domesticado. Imponentes florestas a serem derrubadas, animais a serem dominados em  meio a vestes imaculadamente brancas... tudo num esforço para imprimir a urbanidade na rusticidade da vida no “meio do mato”. Assuntos e situações corriqueiras... O infortúnio de um atoleiro, as risadas  das mocinhas com suas luvinhas brancas, um mergulho no rio, trabalhadores,  compradores de terras... Os momentos congelados nos possibilitam observar gestos, feições e, assim, sentimo-nos mais íntimos de tempos que não podem ser  reconstituídos, pois que deles temos somente fragmentos, registros furtivos, mas  a partir dos quais nos reconhecemos e estranhamos. E, entre afirmação e negação,  vamos construindo nossa identidade.  Londrina tem o privilégio que poucas cidades possuem: o de conhecer seus  primeiros passos e acompanhar sua trajetória. Aqui temos a satisfação de apresentar um dos seus primeiros testemunhos, O OLHAR DE GEORGE CRAIG  SMITH

Nenhum comentário:

Postar um comentário